18 agosto 2017

Supercopa da Espanha 2017: Real Madrid volta a vencer o Barcelona e sagra-se campeão da supercopa

Os tempos são outros. Não há dúvidas de que o Real Madrid está no topo da Europa há dois anos. Mas a diferença para seu maior rival ficou ainda mais evidenciada. Em jogo de volta pela Supercopa da Espanha, nesta quarta-feira (16/08), a equipe de Zinedine Zidane parecia estar diante de uma pequena equipe da La Liga. Mas era o Barcelona. Com um primeiro tempo arrasador, os merengues venceram por 2 a 0, aplicaram 5 a 1 no placar agregado e ficaram com sua 10ª taça da Supercopa. Com sobras. Para confirmar quem é dominante no momento.

Um dado resume o primeiro tempo no Santiago Bernabéu: o Real Madrid finalizou nove vezes, e o Barcelona apenas uma. Sem Cristiano Ronaldo, suspenso, os merengues foram certeiros. Velozes. Intensos. O Barça não conseguia trocar passes, avançar ao campo rival. E o time de Zidane tinha o controle total. Com três minutos, Asensio acertou um chutaço da intermediária e fez um belo gol, por cobertura: 1 a 0. Benzema, aos 38, fez o segundo dos donos da casa, em um vacilo da marcação catalã, após cruzamento de Marcelo: 2 a 0 e título assegurado.

O Barcelona até esboçou uma reação. Mas eram necessários quatro gols para o título. E do outro lado estava a forte marcação madridisa. O Barça acertou a trave com um chute de Messi e uma cabeçada de Suárez, parou em Navas algumas vezes, mas não conseguiu balançar as redes rivais. Ernesto Valverde viu a limitação de sua equipe. Com pouca criatividade e sem muitas opções no elenco, o técnico iniciou a partida com três zagueiros, lançou Semedo na segunda etapa, se frustrou pela primeira vez com André Gomes na temporada e viu pouco de sua equipe. A missão será dura para o restante do ano.

O que dizer de Zidane? Ele não se cansa de levantar taças pelo Real Madrid. A Supercopa da Espanha foi sua sétima pelo clube. Tudo isso nem em dois anos à frente da equipe. O treinador disputou nove torneios como treinador dos merengues. Conquistou sete. Só não levou o Campeonato Espanhol de 2015/16 e a Copa do Rei de 206/17. São quatro títulos apenas em 2017: Liga dos Campeões, Campeonato Espanhol e Supercopas da Europa e Espanha. Em 90 jogos, Zidane viu o Real vencer 68 vezes, empatar 15 e perder apenas sete. Fenômeno.

O Barcelona iniciou o jogo desta quarta precisando de uma "remontada", termo em espanhol usado para virada. Mas encerrou a partida necessitando se remontar. O torcedor do Barça se assustou com o que viu. Pela primeira vez em 25 clássicos com o Real Madrid, o time catalão sequer marcou um gol. Pela primeira vez desde 2008, o Barça teve menos posse de bola que o rival em um clássico. Pela primeira vez em uma decisão de Supercopa contra os merengues, Messi passou em branco. O time de Ernesto Valverde deixou muitos espaços em campo. Estava apático. Baqueado. A temporada será longa para os catalães...

Cristiano Ronaldo viu o jogo das tribunas. Cumpriu o primeiro de seus cinco jogos de suspensão após a expulsão e empurrão no árbitro no jogo de ida em Barcelona. O craque foi o autor do segundo gol merenge na primeira partida, na vitória por 3 a 1. Acompanhado do filho, da namorada e da mãe, o português viu de longe, com tranquilidade, os companheiros confirmarem o título. O 24º da carreira do camisa 7.

Marco Asensio tem 21 anos e provou que será um dos grandes nomes do Real Madrid na temporada. Com um golaço no começo do jogo, o jovem já se provou decisivo. Também balançou as redes nas decisões da Liga dos Campeões e na Supercopa da Europa. É especial.

Parabéns ao Real Madrid pela conquista da Supercopa da Espanha!!!!

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

16 agosto 2017

Supercopa da Itália 2017: Lazio vence a Juventus e conquista a supercopa da Itália

Que baita jogo de futebol aconteceu neste domingo (13/08) no Estádio Olímpico de Roma. Uma partida que nos ensinou, como uma centena de outras vezes, que tudo pode acontecer enquanto o apito final não soa. Principalmente tratando-se de Juventus, que foi buscar o empate quando isso parecia improvável - Immobile fez dois para a Lazio, e Dybala devolveu na mesma medida para a Juve. Talvez o erro da Velha Senhora tenha sido se deixar levar pela empolgação. Esqueceu que o adversário também sabia ser letal. Numa jogada despretensiosa, Lukaku rolou para a área, e Murgia se jogou para marcar o gol do título da Supercopa da Itália.

Esse foi o quarto título da Lazio da Supercopa, que é o confronto único entre os campeões do Campeonato Italiano e da Copa da Itália da temporada anterior. A última conquista da equipe havia sido em 2009/10. O posto de maior campeão continua pertencendo a Milan e Juventus, ambos com sete conquistas cada.

A Lazio surpreendeu a todos jogando de igual para igual com a Juventus e abrindo 2 a 0 no placar até com certa facilidade. Os gols de Immobile saíram aos 32 do primeiro tempo (de pênalti) e aos nove do segundo (de cabeça). Acontece que a Juventus reagiu nos minutos finais e empatou com dois de Dybala, um de falta (aos 39) e outro de pênalti (aos 45). Quando tudo apontava para uma pressão da Velha Senhora e talvez até um terceiro gol, Lukaku fez grande jogada pela esquerda e rolou para dentro da área. Murgia, que havia entrado há pouco, se jogou na bola e completou o cruzamento. Isso faltando dois minutos para o fim.

O PRIMEIRO TÍTULO

Ex-Liverpool, o brasileiro Lucas Leiva levantou uma taça pela Lazio pela primeira vez. Ele comemorou demais a atuação na Supercopa.

- Me sinto muito feliz e, acima de tudo, orgulhoso. Não é fácil estrear numa final contra um dos melhores times do país. Mas felizmente começo minha trajetória com a camisa da Lazio da melhor forma possível, com boa atuação, vitória e taça na mão. É importante começar bem e tenho certeza que isso só me motiva ainda mais para os próximos desafios que estão por vir. Hoje foi um dia muito especial para mim. Estou confiante que será uma temporada de muitas alegrias para todos nós - declarou o brasileiro.

ITALIANO VEM AÍ

A Juventus estreia no Campeonato Italiano contra o Cagliari no próximo sábado, às 13h (de Brasília), no Juventus Stadium. No domingo, é a vez da Lazio receber o Spal em casa, às 15h45.

Parabéns a Lazio pela conquista da suoercopa da Itália!!!!

Fonte: globoesporte.com

Leia Mais »

Supercopa da Inglaterra 2017: Arsenal vence, nos pênaltis, o Chelsea e conquista o título da supercopa

Depois de fazerem o último jogo da temporada passada, na decisão da Copa da Inglaterra, Arsenal e Chelsea voltaram a se encontrar neste domingo (06/08), no primeiro confronto oficial de 2017/18, pela final da Supercopa da Inglaterra. E, mais uma vez, teve vitória dos Gunners. Depois de um empate em 1 a 1 no tempo normal, com gols de Moses e Kolasinac, a disputa foi para os pênaltis. E, com a novidade no modelo das cobranças, no estilo "tie-break", o time de Arsène Wenger foi mais eficiente e venceu por 4 a 1 para ficar com o título.

NOVOS PÊNALTIS

Nos pênaltis, a mudança ficou por conta da ordem das cobranças. O Chelsea começou batendo, depois o Arsenal chutou duas vezes seguidas. A partir daí, as equipes se revezaram em duas cobranças cada até a definição de um vencedor. Caso o empate permanecesse até o 10º chute, aí sim teríamos cobranças alternadas.

Depois de Cahill converter a primeira, Walcott e Monreal colocaram o Arsenal na frente. Quando teve duas chances de chute, o goleiro Courtois e Morata mandaram para fora. Chamberlain fez o terceiro dos Gunners, e Giroud garantiu a vitória por 4 a 1.

COM AÇÃO, MAS SEM GOLS

O Arsenal repetiu o esquema de 3-4-3, que deu certo na reta final do Campeonato Inglês, e iniciou o jogo pressionando o Chelsea. Nos 10 primeiros minutos, Courtois foi obrigado a fazer duas defesas para evitar o gol dos Gunners. Aos 22, Lacazette recebeu na área e acertou a trave. Passado o susto, os Blues equilibraram as ações e foi a vez de Cech fazer duas ótimas intervenções nos chutes de Moses e Pedro. Apesar da boa movimentação, o placar seguiu em branco até o intervalo.

CHELSEA MARCA NO INÍCIO, ARSENAL EMPATA NO FIM

Logo com um minuto do segundo tempo, o Chelsea abriu o placar. Cahill cabeceou para o meio da área, a defesa do Arsenal cochilou, e Moses apareceu livre para balançar a rede. Os Blues ainda tentaram pressionar, mas logo se postaram mais na defesa, esperando os contra-ataques. Courtois salvou aos 30, num chutaço de longe de Xhaka. Aos 34, no entanto, Pedro mudou a história do jogo: fez uma falta dura, desnecessária, por trás e foi expulso. Na cobrança, bola na área e Kolasinac empatou, aos 36. Nos acréscimos, Morata teve boa chance, mas cabeceou para fora, e a disputa foi para os pênaltis.

DA PRESSÃO AOS TÍTULOS

Pressionado na temporada passada após campanha irregular do Arsenal, Wenger se reinventou. Mudou o esquema de jogo, viu o time crescer e conquistou dois títulos nos últimos meses: a Copa da Inglaterra e a Supercopa, ambos em cima do Chelsea.

Parabéns ao Arsenal pela conquista da Supercopa da Inglaterra!!!

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

09 agosto 2017

Supercopa da Europa 2017: Real Madrid vence o Manchester United e garante o título da supercopa da Europa

O Real Madrid segue dominando o futebol europeu. Nesta terça-feira, na Macedônia, o time espanhol venceu por 2 a 1 o Manchester United e abriu de forma oficial a temporada com o título da Supercopa da Europa. Destaque para o volante brasileiro Casemiro, que fez um grande primeiro tempo e deixou sua marca. Isco também marcou para os galácticos, que conquistaram pela quarta vez o torneio. Lukaku estufou a rede para a equipe inglesa.

Ainda em ritmo de pré-temporada, as equipes demoraram a entrar no jogo. O United até esboçou uma pressão inicial, mas logo o toque de bola galáctico deu o tom do que seria o primeiro tempo. Mais arrumado em campo, mais solto e com maior qualidade técnica, o Real Madrid chegou por diversas vezes ao gol de De Gea. A primeira chance foi com Bale, que livre na área tocou para fora após cruzamento de Marcelo. Depois, só deu Casemiro.

O volante acertou a trave, assustou o goleiro do United em um chute, e estufou a rede ao aproveitar lindo lançamento de Carvajal. Parecia estar impedido, mas o árbitro deu o gol, em lance que gerou muita polêmica e reclamações dos ingleses. Foi o elemento
surpresa, deixou a zaga dos Red Devils completamente perdida com suas chegadas no ataque.

O time de Zidane voltou do intervalo com o domínio do jogo. Posse de bola, domínio do adversário e chances de gol. Logo aos seis minutos, o segundo gol. Isco fez uma bela tabela com Bale, entrou livre e tocou na saída de De Gea. Pouco depois, Bale acertou a trave. Mourinho, vendo seu time perdido, colocou Fellaini no jogo. No intervalo havia trocado Lingard por Rashford. Se o United não encontrava o rival na bola, pelo menos passou a ganhar algumas jogadas pela força física. E foi chegando, chegando... Em um desses ataques, Matic arriscou de fora da área, Navas deu rebote, e Lukaku completou para a rede.

O United, porém, não demonstrou força para o empate. O Real empurrou com a barriga o jogo até o apito final. Em início de temporada, faltou perna para buscar mais gols na Macedônia. Cristiano Ronaldo, que se apresentou durante a pré-temporada por ter disputado a Copa das Confederações, foi apenas regular no pouco tempo em campo. Com o apito do árbitro, comemoração galáctica.

Após ter conquistado a Supercopa da Europa, o Real Madrid terá pouco tempo para comemorar. Neste domingo, o time enfrenta o Barcelona, fora de casa, pelo jogo de ida da Supercopa da Espanha. A partida de volta será disputada no dia 16, no Santiago Bernabéu. Enquanto isso, o Manchester United começa sua caminha na Premier League. Também no domingo, o time comandado por José Mourinho terá pela frente o West Ham.

Parabéns ao Real Madrid pela conquista da supercopa da Europa!!!

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

03 junho 2017

Liga dos Campeões 2016/17: Real Madrid goleia a Juventus e conquista o seu 12º título da competição na história

Rei da Europa! O Real Madrid é o dono da Liga dos Campeões e mostrou isso mais uma vez neste sábado, em Cardiff, onde venceu por 4 a 1 a Juventus e conquistou pela 12ª vez a Liga dos Campeões. Quem chega mais perto dos merengues é o Milan, com sete títulos. Cristiano Ronaldo brilhou, fez dois gols e alcançou a marca de 600 na carreira. Casemiro e Asensio fizeram os outros do time espanhol, enquanto Mandzukic fez o único gol da Velha Senhora. Festa em Cardiff e nas ruas da capital espanhola. E a consagração de Zidane, que em um ano e meio como técnico conquistou duas vezes a Champions, um Campeonato Espanhol e um Mundial de Clubes da Fifa.

PRIMEIRO TEMPO

Como era esperado, o equilíbrio deu o tom nos primeiros 45 minutos. Massimiliano Allegri apostou em três zagueiros, com Bonucci, Barzagli e Chiellini. Dava uma ideia de um 3-5-2, com Daniel Alves e Alex Sandro abertos pelas laterais. Porém, em determinados momentos esse esquema ficava com duas linhas de quatro, bem fechado. Isso dificultou o início de jogo do Real Madrid, que teve dificuldades para encontrar espaços e chegar com perigo. Apesar disso, o time espanhol abriu o placar com Cristiano Ronaldo. Ele recebeu de Carvajal, bateu e contou com o desvio em Bonucci para comemorar. Bem jogo, a Velha Senhora conseguiu o empate com uma obra de arte de Mandzukic, que acertou uma meia-bicicleta e fez a torcida italiana explodir em Cardiff.

SEGUNDO TEMPO

Se na etapa inicial a Juventus conseguiu equilibrar as ações, no segundo tempo levou um baile do Real Madrid. Quando o árbitro apitou, o time espanhol já mostrou que dificilmente deixaria escapar a 12ª taça da Liga. Foi um grande jogo coletivo e individual. A pressão foi enorme, e o segundo gol veio quando Casemiro acertou uma bomba de fora da área aos 15 minutos e não deu chances de defesa para Buffon. A Velha Senhora não teve mais forças para reação, e o time de Zidane trabalhou a bola, dominou o meio de campo e ampliou com CR7 logo em seguida. Ele aproveitou um passe de Modric e completou para a rede. No fim do jogo, Asensio ainda fez mais um para fechar o placar em Cardiff.

Recordes e grandes conquistas são marcas do Real Madrid. E nesta temporada não foi diferente. Com o título da Liga dos Campeões, o 12º da sua história, o time espanhol se tornou o primeiro a ganhar por duas vezes consecutivas a orelhuda desde que o formato da competição mudou, em 1992. O time que chega mais perto dos galácticos no número de títulos do torneio é o Milan, que soma sete conquistas.

Atual campeão mundial, o Real Madrid voltará a disputar o torneio da Fifa em dezembro, nos Emirados Árabes. Além do time espanhol, outros quatro já estão classificados: Pachuca, campeão da Liga dos Campeões da Concacaf, Auckland City, campeão da Oceania, e Al-Jazira, que é o campeão do país anfitrião. Faltam os representantes da Ásia, da África e da América do Sul.

Jogadores do Real Madrid comemoram o título da Liga dos Campeões 2016/17!!!!

Parabéns ao Real Madrid pela conquista da Liga dos Campeões 2016/17!!!!

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

Copa do Brasil 2017: Atlético-MG vence o Paraná e avança na competição

Dessa vez sem sustos ou apagões, o Atlético-MG conseguiu vencer o Paraná por 2 a 0, no Independência, na noite desta quarta-feira, e carimbou sua classificação para as quartas de final da Copa do Brasil. O triunfo veio com dois bonitos gols: o primeiro foi um olímpico de Otero, o segundo veio dos pés de Fred, encerrando um jejum de três jogos sem marcar, tocando por cima do goleiro. O valente Paraná ainda tentou, mas parou na trave com o chute de Robson, que ainda perdeu grande chance. Agora, o Galo espera até segunda-feira para o sorteio da CBF que irá definir o seu adversário das quartas de final.

PRIMEIRO TEMPO

Precisando do resultado, o Atlético-MG foi com tudo para cima do Paraná Clube. Fred tentou o primeiro chute no primeiro minuto de jogo e a pressão não parava. Esperando a situação, o Paraná se limitou a se defender e rezar para que uma bola não entrasse deixando a posse de bola toda com o Galo, que chegou a ter 79%. A primeira chance paranista apareceu aos 30 minutos com Robson, que perdeu grande chance dentro da área. A resposta do Galo foi com um gol olímpico de Otero, após cobrança de escanteio. O Paraná ainda teve uma bola na trave com Robson, enquanto o Galo seguia firme no objetivo de ampliar o placar.

SEGUNDO TEMPO

O jogo ficou bem mais equilibrado no segundo tempo, mas não pelas oportunidades criadas. O Galo passou a criar menos, enquanto o Paraná tentava achar os espaços. Fred chegou a perder um gol incrível ao mandar para fora quando estava de frente para o gol, mas não perdeu a segunda chance. No passe de Cazares, ele entrou na área e bateu por cima de Léo. Mas o atacante nem comemorou, porque o choque do seu joelho com a cabeça do goleiro paranista foi bastante forte e o tirou de campo. Após o gol, o Galo relaxou e o Paraná ainda tentou mudar o resultado, mas sem sucesso

No domingo, o Atlético-MG vai até São Paulo e pega o Palmeiras pela quarta rodada do Brasileirão. O jogo está previsto para as 16 horas. O Paraná volta sua atenção para a Série B, mas joga apenas na próxima terça-feira contra o Londrina, no estádio do Café, pela quarta rodada.

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

Copa do Brasil 2017: Chapecoense e Cruzeiro empatam, mas, equipe mineira avança graças a vitória na primeira partida

Um intruso gigante! A Chapecoense bem que tentou, teve gol anulado, bola na trave, pressão, mas a camisa pesou. O 0 a 0 na Arena Condá na noite desta quinta-feira foi suficiente para colocar o Cruzeiro nas quartas de final da Copa do Brasil. O 1 a 0 no jogo de ida, no Mineirão, fez a diferença, e os mineiros são os únicos que seguem vivos na competição passando pelas fases preliminares - todos os outros disputaram a Libertadores.

O final da partida ficou marcado por confusão: jogadores da Chape reclamaram com o arbitragem, por conta de lances polêmicos; atletas de ambos os times brigaram no vestiário; e 4º árbitro foi atingido por objeto arremessado da arquibancada.

PRIMEIRO TEMPO

O Cruzeiro entrou em campo sem dar bola para vantagem e se mandou para o ataque. Mesmo visitante, pressionou em busca do gol que daria ainda mais tranquilidade e logo no primeiro minuto assustou com Ábila. A Chape, por sua vez, não desesperou e esperou passar o ímpeto mineiro até tomar conta das ações. Não sofrer gol era tão importante quanto marcá-lo. Com paciência, o Verdão entrou no jogo com a força das laterais.

Com Luiz Antonio bem na distribuição, Reinaldo e Apodi entraram no jogo e o Cruzeiro naturalmente passou a ter mais cuidados ofensivos. Arthur era quem mais tinha chances de finalizar nos pés, mas a pontaria não foi das melhores. Os laterais contados por Reinaldo sempre levavam perigo. O gol, entretanto, não saiu em 45 minutos de equilíbrio.

SEGUNDO TEMPO

A Chape se expôs na volta do intervalo e logo levantou o torcedor. Após escanteio, Victor Ramos escorou e Wellington Paulista fez o gol. Festa interrompida pelo árbitro, que apontou falta do zagueiro. A pressão continuou, e Reinaldo acertou o travessão de Fábio. O Cruzeiro conseguia se virar bem na defesa e passou a segurar a bola, gastar o tempo.

Sem opção, a Chape foi para o tudo ou nada após o minuto 30 e deixou o jogo aberto. Cada ataque desperdiçado era um contragolpe perigoso do Cruzeiro. Rafinha e Raniel chutaram para fora na frente de Jandrei, Rossi pediu pênalti. Nada foi capaz de tirar o zero do placar. Melhor para os mineiros.

O empate tira a Chapecoense de mais uma competição no apertado calendário de 2017. Eliminado na fase de grupos da Primeira Liga e da Libertadores, o Verdão perdeu a Recopa para o Atlético Nacional, foi campeão estadual e caiu nas oitavas da Copa do Brasil. Restam ainda o Brasileirão, a Copa Sul-Americana e a Copa Suruga, além do amistoso com o Barcelona, em agosto. Haja fôlego!

Após o apito final do árbitro, jogadores e comissão técnica da Chapecoense se dirigiram até ao quarteto de arbitragem, comandado por Péricles Bassols, e reclamaram bastante da atuação do carioca. Já no vestiário, a delegação dos dois times se envolveram em um empurra-empurra na entrada dos vestiários. O técnico Vágner Mancini acusou um integrante da delegação cruzeirense de tentar acertar, algum integrante da Chape, com uma garrafa d’água. Após cerca de cinco minutos de confusão, os dois times entraram para o vestiário.O autor teria sido o lateral-esquerdo Diogo Barbosa. Nenhum integrante do Cruzeiro se pronunciou sobre a situação.

Após a confusão, o quarteto de arbitragem da partida também foi atingido, desta vez, por um objeto lançado da arquibancada. Um dos auxiliares de Péricles Bassols foi acertado próximo ao olho, cuja região ficou sangrando. Os profissionais entraram para o vestiário sob muito protesto também da Chapecoense.

Com a classificação, o Cruzeiro se junta a Flamengo, Botafogo, Palmeiras, Santos, Atlético-MG, Atlético-PR e Grêmio. Os confrontos de quartas de final serão definidos em sorteio, segunda-feira, na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Pelo Brasileirão, Chape e Cruzeiro voltam a se enfrentar, domingo, às 19h (de Brasília), no Mineirão, pela quarta rodada. As duas equipes dividem a liderança, com sete pontos.

Fonte: globoesporte.com

Leia Mais »

Copa do Brasil 2017: Sport e Botafogo empatam e a equipe carioca avança para a próxima fase

Classificado para as oitavas da Taça Libertadores, o Botafogo também está garantido na próxima fase na Copa do Brasil. A vaga foi conquistada após o empate em 1 a 1 com o Sport, na noite desta quarta-feira, na Ilha do Retiro, no Recife. O confronto acabou marcado por três destaques: a estreia do técnico Luxemburgo, no Leão, o golaço de Roger e o erro da bandeirinha Tatiane Camargo, que anulou um gol legítimo de Rodrigo Pimpão ainda no primeiro tempo.

Como o Botafogo havia vencido o jogo de ida, no Estádio Nilton Santos, por 2 a 1, o empate foi suficiente para colocar a equipe na próxima fase da Copa do Brasil. A Diretoria de Competições da CBF fará os sorteios dos confrontos e mandos de campo das quartas de final no dia 5 de junho, na sede da entidade, no Rio de Janeiro.

Precisando do empate, o Botafogo começou cadenciado e teve que segurar a pressão inicial do Sport, que entrou motivado com a mudança de comando. Porém, logo o Alvinegro equilibrou o jogo e deixou a vida do Leão ainda mais complicada, aos 11 minutos. João Paulo recebeu na entrada da área e deu belo passe para Roger, que driblou Matheus ferraz e tocou na saída de Magrão para abrir o placar.

O Sport até que tentou e perdeu boa oportunidade de empatar com o atacante André. Na beira do campo, Luxemburgo, que foi apresentado nesta terça-feira, não parava de gesticular e tentava organizar o time de alguma forma. Aos 30, ele colocou Lenis no lugar de Everton Felipe, mas não adiantou. Minutos depois, o Botafogo quase chegou ao segundo, após uma bola de Pimpão no travessão. Aos 42, o atacante aproveitando um cruzamento de Roger e marcou. Porém, a bandeirinha Tatiane Camargo errou feio ao dar impedimento e anular o lance.

A missão do Sport já estava difícil e ainda piorou aos 13 minutos, quando Rogério deu uma entrada violenta em João Paulo e foi expulso. Mesmo assim, o time lutou bastante e não se entregou. Aos 22, Fabrício cobrou escanteio na cabeça de Durval, que subiu alto e empatou, colocando o time vivo no confronto. O lance agitou os torcedores e, consequentemente, os atletas em campo. A pressão foi grande, principalmente, com bolas lançadas na área do Botafogo. Mas o time carioca suportou bem e voltou para o Rio classificado.

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

Copa do Brasil 2017: Internacional vence, mas, o Palmeiras marca no fim e garante a classificação para a próxima fase graças ao gol marcado fora

Em 12º na Série B, sem técnico e com a autoestima abalada. Assim o Inter entrou em campo na noite desta quarta-feira, no Beira-Rio, para tentar reverter a vantagem de 1 a 0 do Palmeiras construída em São Paulo nas oitavas de final da Copa do Brasil. O Colorado foi valente, abriu 2 a 0, mas o Verdão não desistiu. No fim, os paulistas foram para cima – com direito a Mina de centroavante – e conseguiram o gol da classificação em um toque de Thiago Santos, em dividida com Danilo Silva. E deu Verdão pelo saldo qualificado.

Um sorteio na próxima segunda-feira definirá o adversário do Palmeiras nas quartas de final da competição. Antes, às 16h de domingo, o Verdão recebe o Atlético-MG em casa pela quarta rodada do Brasileirão. Já o Colorado volta atenções totais à Série B. No sábado, enfrenta o Juventude, novamente no Beira-Rio, às 19h, também pela quarta rodada.

PRIMEIRO TEMPO

Com a necessidade de reverter o placar, o Inter iniciou em cima do Palmeiras. Aos três minutos, Nico López perdeu um gol cara a cara com Fernando Prass. Porém, cinco minutos depois, o time não desperdiçou. Edenílson fez grande jogada e tocou para D'Alessandro, que chutou sem chances a Prass. O lance acordou o Verdão. Os visitantes avançaram a marcação, mas não incomodavam o gol de Danilo Fernandes. De quebra, o Palmeiras ainda perdeu Dudu, lesionado, que deu lugar a Keno.

SEGUNDO TEMPO

Os times voltaram dos vestiários com mudanças. Enquanto Cuca tirou o zagueiro Edu Dracena, de péssima atuação, e colocou o volante Thiago Santos, o interino Odair Hellmann sacou Marcelo Cirino e promoveu a estreia de Eduardo Sasha no ano. Aos 10, o Colorado marcou o gol que o classificava. Em novo desarme no meio, Edenílson armou o contra-ataque com D'Alessandro, que acionou a passagem de William pelo lado direito. O lateral apenas tocou para o meio da área, onde Nico López chegou para desviar e ampliar a vantagem.

Aos 27, Keno cruzou rasteiro, Willian finalizou de carrinho na trave e, no rebote, Danilo Fernandes fez uma ótima defesa para evitar o gol do atacante. Mas, quando a partida parecia controlada pelo Inter, o Verdão encontrou sua vaga às quartas de final. Jean cobrou falta na área aos 34, Danilo Silva dividiu pelo ar com Thiago Santos, mas o volante conseguiu tocar de cabeça para o gol.

Fonte: globoesporte.com

Leia Mais »

Copa do Brasil 2017: Grêmio vence novamente o Fluminense, dessa vez fora de casa, e avança as quartas de finais

Com a derrota por 3 a 1 em Porto Alegre, o Fluminense tinha uma tarefa difícil no Maracanã: vencer por 2 a 0 ou três gols de diferença para se classificar. Os donos da casa começaram indo para cima, mas tiveram o plano de jogo comprometido logo aos quatro minutos de jogo: Luan partiu no contra-ataque e recebeu uma tesoura por trás de Nogueira, que recebeu vermelho direto e deixou o Fluminense com um a menos. A partir daí, o Grêmio controlou o jogo e venceu por 2 a 0 (5 a 1 no agregado) com tranquilidade.

Com um a mais desde o início e a vantagem no placar agregado, o Grêmio teve o controle do jogo desde os cinco minutos do primeiro tempo. Dominou o meio-campo, trocou passes, ditou o ritmo do jogo e cozinho o Fluminense. Luan foi o grande nome do jogo. Além de abrir o placar e provocar a expulsão de Nogueira, o camisa 7 soube a hora de acelerar e cadenciar o jogo. O jovem ainda deixou Barrios cara a cara com Cavalierie, que driblou o goleiro, mas chutou para fora. Ramiro também merece destaque: controlou o meio-campo e foi tanto na defesa quanto no ataque.

Após a expulsão de Nogueira, os donos da casa ficaram bastante exaltadados e reclamando bastante com o árbitro Thiago Duarte Peixoto. No fim do primeiro tempo, jogadores do Fluminense cercaram o árbitro pedindo vermelho para Kannemann após entrada dura em Dourado. Mas o argentino recebeu apenas o amarelo. Os cariocas voltaram a cercar o árbitro antes de irem ao vestiário no intervalo. No segundo tempo, após falta de Rafael Thyere, Lucas chutou a bola em Arthur, iniciando uma confusão e empurra-empurra entre os jogadores. Depois, Lucas e Ramiro voltaram a se encarar. Antes do fim do jogo, Richarlison, Henrique Dourado e Ramiro ainda foram punidos com amarelo por faltas duras.

PRIMEIRO TEMPO

O Fluminense começou buscando o ataque. Henrique sofreu falta de Kannemann, Gustavo Scarpa cobrou na área e, após confusão, o Tricolor carioca quase abriu o placar. Mas, na sequência, o lance que mudou a partida: Nogueira foi expulso por tesoura por trás em Gustavo Scarpa. Abel decidiu não mexer no time e recuou Orejuela para a zaga. Assim, o meio-campo ficou entregue ao Grêmio. Os visitantes tomaram conta do jogo, trocavam passes e cozinhavam o Fluminense. O golaço de Luan retrata bem isso: de Ramiro para Pedro Rocha, de volta para Ramiro, para Barrios, para Luan, para o ângulo de Cavalieri. O lance aconteceu sem nenhum deles ser incomodado.
Abel então resolveu mexer: aos 25 , tirou Gustavo Scarpa e colocou o zagueiro Reginaldo, voltando com Orejuela para sua posição de origem. Mas logo em seguida, Pedro Rocha ampliou. A virada parecia impossível, e o Fluminense não conseguia criar. O Grêmio rodava a bola e fazia o tempo passar. Aos 45, Kannemann deu entrada dura em Dourado e recebeu o amarelo, mas os tricolores queriam o vermelho.

SEGUNDO TEMPO

Na volta para o segundo tempo, com o jogo na mão, Renato Gaúcho trocou a zaga: tirou Geromel, que sentiu logo no início do jogo, para a entrada de Rafael Thyere, e Kannemann, pendurado, deu lugar a Bressan. Abel colocou Luiz Fernando no lugar de Douglas. Mas o cenário continuou o mesmo. Grêmio controlava o jogo e fazia o tempo passar. Aos 7, Barrios teve nova chance de ampliar, mas finalizou mal. Na sequência, aos 9, Henrique cabeceou no travessão, na melhor chance dos donos da casa. Com o passar do tempo, os jogadores foram perdendo o controle, e Richarlison, Henrique Dourado e Henrique receberam amarelo, enquanto Lucas chutou a bola em cima de Arthur após falta no meio campo. Mas o jogo continuou nas mãos do Grêmio, que em nenhum momento foi seriamente ameaçado.

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »