17 agosto 2016

Supercopa da Espanha 2016: Barcelona vence o Sevilla novamente e conquista o título da supercopa

O Barcelona começou 2016-2017 como terminou a última temporada: comemorando um título. Nesta quarta-feira, no Camp Nou, os catalães não deram chance ao Sevilla e derrotaram o adversário por 3 a 0, na partida de volta da Supercopa Espanhola. No placar agregado, 5 a 0 para os Blaugranas.

O Sevilla, por sua vez, parece um peixe fora d'água longe da Liga Europa. Tricampeões do torneio europeu, os andaluzes amargam o segundo vice-campeonato em apenas uma semana. A primeira frustração veio na Supercopa Europeia, com a derrota para o Real Madrid por 3 a 2, na prorrogação, após uma vitória parcial por 2 a 1 antes dos 48 minutos da segunda etapa.

Em desvantagem por dois gols, o Sevilla sabia que a missão era complicada desde o início. A ideia do técnico Jorge Sampaoli era dar dor de cabeça ao catalães. O plano, que tinha Paulo Henrique Ganso entre os titulares pela primeira vez, saiu pela culatra.

Aos dez minutos, Messi tocou para Arda Turán abrir o placar para o Barça. O Sevilla teve a chance do empate, mas Iborra parou nas mãos do goleiro Bravo em cobrança de pênalti. De partida para o Manchester City, o veterano chileno se despede em grande forma.

A segunda etapa foi o enterro definitivo do Sevilla. A facilidade do Barça só aumentou. Logo depois do pontapé inicial, Arda Turán fez o segundo. Em pouco tempo, de cabeça, Messi ampliou.

Tímido, Ganso não conseguiu acrescentar nada de relevante ao esquema de Sampaoli e foi substituído aos 11 minutos do segundo tempo.

Mesmo com Suárez no banco de reservas, o Barça não encontrou dificuldade para seguir envolvendo o Sevilla. Reforços contratados recentemente, Digne, André Almeida entraram muito bem no time.

Parabéns ao Barcelona pela conquista da supercopa da Espanha!!!

Fonte: uol esportes
Leia Mais »

Supercopa da Europa 2016: Real Madrid vence o Sevilla e é campeão da supercopa da europa

No último dia 09/08, após empatar no tempo normal por 2 a 2, com um gol aos 47 minutos do segundo tempo de Sergio Ramos, o Real Madrid ganhou a decisão da Supercopa da Europa por 3 a 2 do Sevilla, na prorrogação, no estádio Lerkendal, em Trondheim, na Noruega, no primeiro titulo disputado na temporada 2016/2017. O gol no tempo extra foi marcado pelo lateral direito Carvajal, a dois minutos do fim do confronto.

É o segundo título do clube da capital espanhola sob o comando do técnico Zinedine Zidane e o terceiro troféu da Supercopa da Europa, competição que reúne os campeões da Liga dos Campeões e da Liga Europa, da história do time.

Durante os 90 minutos, o Real abriu o placar com um golaço de Asensio, aos 21 minutos do primeiro tempo. Vázquez empatou o duelo com outro belo gol, ainda na etapa inicial. O Sevilla chegou a virar com uma penalidade convertida por Konoplyanca, mas cedeu o empate nos acréscimos. Depois de sofrer o segundo gol do Real, a equipe de Sevilha ainda teve o zagueiro Kolo expulso e jogou a prorrogação com um a menos.

Sergio Ramos repetiu o que fez na final da Liga dos Campeões em 2014. Na ocasião, ele marcou de cabeça, também aos 47 minutos da etapa final, contra o Atlético de Madri e empatou o duelo em 1 a 1. Depois, o Real se sagrou campeão na prorrogação ao vencer o rival por 4 a 1.

A equipe de Madri não contou com os atacantes Cristiano Ronaldo e Gareth Bale. O português já voltou a realizar exercícios físicos após lesionar o joelho na final da Eurocopa, mas ainda não apresenta condições de jogo.

Já o galês teve as férias estendidas depois de chegar às semifinais da Eurocopa com o País de Gales. Benzema começou o duelo no banco de reservas e entrou aos 17 minutos da etapa final.

O meia brasileiro Ganso viajou para a Noruega, mas nem foi relacionado entre os reservas pelo técnico argentino Jorge Sampaoli, que escalou Mariano, ex-Fluminense, como titular.

No Real Madrid, Casemiro e Marcelo começaram o jogo entre os onze titulares. James Rodríguez, pouco aproveitado por Zidane na última temporada, iniciou o partida no banco, mas foi utilizado na etapa final após o segundo gol do Sevilla.

Real Madri começa melhor o duelo, mas piora e cede empate

Até os 25 minutos do primeiro tempo, o time de Zidane não deu espaços para o Sevilla, que mal passou do meio de campo no período.

A superioridade virou vantagem no placar aos 21 minutos, quando Asensio acertou um belo chute, de esquerda, de fora da área, e acertou o ângulo do goleiro Rico.

O Sevilla só foi assustar quatro minutos depois em um chute torto de Mariano, que saiu por cima do travessão de Casilla.

O lance serviu para despertar a equipe de Sampaoli, que passou a dominar o duelo e empatou aos 40 minutos com Vázquez. Ele aproveitou a sobra de uma bela jogada de Vitolo, pegou de esquerda e acertou o canto para empatar a decisão.

Segundo tempo sem muitas chances de gols, mas com emoção até o fim

Na etapa final, Sampaoli e Zidane usaram todas as suas substituições, mas as equipes não criaram muitas oportunidades. A primeira chance mais perigosa foi criada por Isco, que recebeu na entrada da entrada da área, driblou o oponente e chutou rente à trave de Rico.

O Sevilla, a exemplo do primeiro tempo, acordou e passou a atacar. Aos 28 minutos, Vitolo entrou na área, driblou Sergio Ramos e recebeu um toque do zagueiro. O árbitro sérvio Milorad Mazic marcou pênalti, convertido por Konoplyanca.

Quando o Sevilla já ameaçava a comemorar o título, Lucas Vázquez chegou à linha de fundo e cruzou na cabeça de Ramos. Livre, o defensor só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes e levar o duelo para a prorrogação. O zagueiro Kolo, do Sevilla, foi expulso nos acréscimos e deixou sua equipe com um jogador a menos.

No tempo extra, o Real Madrid, com um atleta a mais, foi melhor e chegou a marcar um gol novamente com Ramos. No entanto, o juiz assinalou falta do zagueiro e anulou o lance.

Já na segunda etapa da prorrogação, faltando dois minutos para acabar o confronto, o lateral direito Carvajal fez bela jogada individual, bateu na saída do goleiro e deu o primeiro título da temporada para o Real Madrid.

Parabéns ao Real Madrid pela conquista da supercopa da Europa 2016!!!

Fonte: Uol esportes

Leia Mais »

13 junho 2016

Copa América Centenário: Brasil perde para o Peru com gol de mão e está eliminado da competição

Um gol de mão do Peru causou pane na arbitragem: 1 a 0. Trocadilhos mil, vexames a rodo. Num grupo em que o nulo Haiti zerou, o Brasil (quatro pontos) terminou atrás de Peru (sete) e Equador (cinco). Prejudicado no gol ilegal? Sim. Mas muito mais prejudicado na gestão atrapalhada, dentro de fora de campo. Esse é o patamar do futebol brasileiro atual. Um time com talentos, mas sem convicções, corre o risco de cair no limbo. No segundo tempo, Polo arrancou pela direita e cruzou para Ruidiaz dar uma cortada na bola. Mão claríssima. Após minutos de discussão entre eles e com alguém, pelo rádio, o árbitro Andrés Cunha e o assistente Nicolas Taran decidiram dar o gol. Será, certamente, a justificativa para a eliminação precoce. Não convence.

PRIMEIRO TEMPO

Sabe aquele prato bem feitinho, mas sem um tempero que o torne especial? Assim foi o Brasil do primeiro tempo, bem superior, mas sem capacidade de envolver no ataque. Apesar de bons passes em profundidade, faltou aproximação entre Lucas Lima, Willian e Coutinho para criar triangulações rápidas. Ainda assim, Gabriel exigiu duas boas defesas de Gallese e Willian teve chance de concluir bom cruzamento. À espera de um vacilo brasileiro, o Peru, passivo demais, pôde reclamar pênalti de Renato Augusto sobre Flores. O Brasil também chiou quando Lucas Lima caiu na área, mas sem razão. O meia do Santos é que chutou o pé do peruano Ramos.

SEGUNDO TEMPO

Yotún entrou e o Peru teve mais intensidade no meio, com antecipações e velocidade. Cueva, reforço do São Paulo, melhorou. Só Guerrero continuou em seu ritmo lento, sem ganhar nenhuma bola. O Brasil dependeu da visão de Renato Augusto, mas continuou com seus jogadores muito distantes uns dos outros, sem aproximações ou tabelas. Lucas Lima, aposta de Dunga para o meio-campo, não foi bem. Willian tampouco. Dunga demorou a mexer, e, quando mexeu, colocou Hulk. O gol de mão de Ruidíaz pode ter sido um castigo muito forte, mas o Brasil não fez nada para se classificar. Não se impôs, não agrediu, não foi Brasil. Ou melhor, foi o Brasil dos últimos anos. Um time qualquer.

PÚBLICO

Em Boston, 36.187 pessoas assistiram à vitória do Peru sobre o Brasil. A renda não é divulgada nos jogos da Copa América Centenário.

PRÓXIMOS JOGOS

O Peru enfrentará a Colômbia, sexta-feira, em Nova Jersey. O Brasil, eliminado na fase de grupos - fato que não acontecia desde 1987 -, só voltará a atuar no dia 29 de julho, com sua seleção olímpica, em Goiânia, diante do Japão. Será o último amistoso antes da Olimpíada, que começa em 4 de agosto. A equipe principal jogará no dia 6 de setembro, em Quito, contra o Equador, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

4-2-3-1

Dunga escalou o meio-campo que ensaiava há tempos, com Elias e Renato Augusto recuados e Lucas Lima armando à frente. Não deu certo. Lucas foi mal individualmente e não houve aproximação entre ele, Willian e Philippe Coutinho. A movimentação de Gabriel como homem mais ofensivo também foi ruim, embora tenha sido muito perigoso pela qualidade de suas finalizações.

SÓ UM, DUNGA?

Mesmo precisando do empate para se classificar depois do gol do Peru, confirmado aos 32 minutos do segundo tempo, o técnico da Seleção não fez mais nenhuma alteração. Antes, ele havia trocado Gabriel por Hulk. Opções ofensivas no banco havia de sobra: Ganso, Lucas e Jonas. Ninguém entrou.

Fonte: globoesporte.com



Leia Mais »

05 junho 2016

Liga dos Campeões 2015/16: Real Madrid vence nos pênaltis o Atlético de Madri e conquista mais um título da competição

Com emoção até o último instante, o Real Madrid conquistou pela 11ª vez o título da Liga dos Campeões. Maior vencedora do torneio, a equipe merengue precisou das cobranças de pênaltis para bater o rival Atlético de Madrid, após 1 a 1 no tempo regulamentar. Para a infelicidade dos Colchoneros, o lateral Juanfran, que fez boa partida, acabou mandando na trave a sua cobrança. Em seguida, Cristiano Ronaldo marcou o seu e deu o título aos Blancos.

O português teve a honra de bater o último pênalti, terminou como artilheiro da Liga dos Campeões, com 16 gols, mas em campo ele esteve apagado, bem aquém do que rendeu durante a competição. Sergio Ramos fez novamente sobre o Atlético, também de cabeça, mas Carrasco empatou na segunda etapa, dando mais emoção à decisão, que foi disputada no Estádio San Siro, em Milão.

O Atlético de Madrid entrou em campo com uma mudança na defesa. Simeone colocou Savic no lugar de Giménez, apostando no melhor aproveitamento do montenegrino nas bolas aéreas. O treinador argentino tinha ciência que o Real era perigoso no quesito. E o Cholo tinha razão.

O Real tinha dificuldades para sair da marcação do Atlético nos primeiros minutos e apostou exatamente nas jogadas pelo alto. Benzema perdeu um gol incrível após falta cobrada por Bale, mas Oblak apareceu como uma parede em sua frente.

Infelizmente para o Colchonero, o raio caiu duas vezes no mesmo lugar. Kroos bateu falta pela esquerda, Bale desviou e Sergio Ramos, impedido, abriu o placar. O zagueiro também foi o algoz do Atlético na final da Champions em 2013/14, ao empatar nos acréscimos a partida, que acabou com vitória merengue por 4 a 1.

Em desvantagem, o Atlético teve que sair para o jogo, mudando um pouco sua postura habitual de esperar o adversário. O Real mostrava também que sabe se defender, com Casemiro - um gigante na marcação -, Kroos e Modric, e Cristiano Ronaldo e Bale fechando os espaços pelas pontas.

Griezmann passou a ser mais acionado, levando perigo ao gol de Navas com duas finalizações. Mas era pouco para furar a bem montada defesa do Real Madrid.

Sem alternativas, o Atlético voltou mais ofensivo para o segundo tempo, com a entrada de Carrasco no lugar de Augusto Fernández. E a postura mais incisiva deu resultado logo aos dois minutos, quando Pepe derrubou Fernando Torres na área. Griezmann encheu o pé na cobrança, mas a bola foi caprichosamente no travessão.

A pressão do Atlético ficou cada vez mais intensa, com dois homens abertos pelas pontas: Griezmann pela direita e Carrasco pela esquerda, com Torres centralizado. A equipe atacava por baixo, por cima, e levava perigo por todos os lados. Em cobrança de escanteio, Godín desviou e Savic quase empatou. Os volantes do Real já não marcavam como no primeiro tempo e não conseguiam acompanhar o rápido time colchonero.

Aos poucos, o Real passou a colocar a bola no chão, apostando na experiência e na qualidade técnica para segurar o Atlético. E passou a utilizar as armas comuns do Colchonero. Em contra-ataque, Modric deixou Benzema na boa, mas Oblak segurou o chute do francês.

Pensando nos contra-ataques, Zidane tirou Benzema e lançou o jovem Lucas Vázquez. E a mudança deixou o Real mais veloz. Em jogada pela esquerda, Cristiano Ronaldo perdeu gol feito, chutando em cima de Oblak. No rebote, Bale chutou e o zagueiro tirou em cima da linha.

E o ditado mais famoso do futebol entrou em ação. Enquanto o Real martelava e perdia chance atrás de chance, quem chegou ao gol foi o Atlético. Gabi deu lindo lançamento para Juanfran, que cruzou na medida para Carrasco empatar.

O gol do Atlético forçou a prorrogação. As duas equipes sentiram muito o desgaste físico, principalmente o Real Madrid. Bale foi visto algumas vezes no chão com câimbras e Cristiano Ronaldo sentia o cansaço evidente. No segundo tempo do tempo extra, Filipe Luís sentiu uma lesão muscular e foi substituído, podendo ser um problema para a Seleção Brasileira para a disputa da Copa América. Com o jogo amarrado e as duas equipes esgotadas, o jogo foi para os pênaltis.

O Real Madrid foi perfeito em sua cobranças. Lucas Vázquez, Marcelo, Bale e Sergio Ramos haviam marcado para os Merengues quando Juanfran foi para a cobrança. Para desespero dos Colchoneros no Estádio San Siro, o lateral mandou na trave. E viu o astro Cristiano Ronaldo deslocar Oblak para decretar o 11º título da Champions ao arquirrival. O Atlético de Simeone foi valente, mas acabou perdendo o troféu nos detalhes. Festa branca em Madri!

Fonte: Terra
Leia Mais »

Copa América Centenário: Brasil estreia na competição com empate diante do Equador

As boas lembranças do tetra no Rose Bowl não foram suficientes para a Seleção fazer os torcedores recordarem dos bons tempos. Na estreia pela Copa América Centenário, o Brasil empatou em 0 a 0 com o Equador e, apesar de alguns lampejos, não mostrou futebol convincente ao longo da partida. Ainda contou com a ajuda da arbitragem, que anulou um gol legal do Equador, em falha de Alisson.

O Brasil começou melhor a partida. Empurrou o Equador para a defesa e chegou com facilidade ao ataque. Mas faltou melhor definição. Jonas, Elias, Coutinho e Willian não tomavam a decisão certa na hora de finalizar. Os equatorianos, apostando no contra-ataque, melhoraram a marcação no segundo tempo, mas seguiram sem ameaçar muito. A falta de eficiência dos dois ataques explica bem o empate sem gols.

QUE SORTE

Em seu primeiro jogo numa competição de tiro curto, Alisson vinha sendo pouco testado, até que num cruzamento despretensioso, falhou feio e deixou a bola entrar. Para alívio do Brasil, o árbitro anulou o gol, em lance difícil, por entender que a bola saiu pela linha de fundo - no replay, é possível ver que a jogada era legal.

CHUTA, BRASIL

A Seleção teve maior presença ofensiva, trocou passes, e os meias se apresentaram no ataque. Entretanto, o time errou demais na definição e quase não finalizou.

AGENDA

Na próxima quarta-feira, pela segunda rodada, o Brasil enfrenta o Haiti, em Orlando, às 20h30 (de Brasília). No mesmo dia, às 23h, o Equador encara o líder Peru, em Phoenix.

PÚBLICO

O Rose Bowl ficou pintado de amarelo. Tanto brasileiros e equatorianos compareceram em bom público: ao todo, 53.158 pessoas acompanharam a partida.

Fonte: globoesporte.com



Leia Mais »

26 maio 2016

Campeonato Brasileiro Série C 2016: Portuguesa estreia na competição em casa com portões fechados e com derrota para o Macaé

O jogo de estreia de Portuguesa e Macaé na Série C do Brasileirão 2016, na última segunda-feira (23/05) mais parecia um treino. Sem placas de publicidade e com as arquibancadas do Estádio Canindé completamente vazias - o clube paulista cumpriu punição pela confusão ocorrida na partida contra o Vila Nova, no ano passado -, as equipes deram início à caminhada rumo à Segunda Divisão. O Macaé, com o pé direito. É bem verdade que a Lusa foi mais eficiente nos primeiros momentos e até abriu o placar com Gustavo Tocantins, mas o time visitante teve mais volume durante boa parte do jogo e conseguiu virar com gols de Fabinho Cambalhota e Magnum, ambos no segundo tempo. Uma vitória por 2 a 1 fora de casa que pode dar moral para o restante da competição.

Com a vitória e os primeiros pontos na competição, o Macaé assumiu a segunda colocação do Grupo B - Guarani e Botafogo-SP, que também venceram, têm a mesma pontuação. Já a Portuguesa dá a largada na primeira posição fora da zona de rebaixamento, com zero pontos.

As duas equipes, agora, voltam a campo no próximo final de semana, pela segunda rodada da Série C. No sábado, o Macaé recebe o Boa Esporte no Estádio Moacyrzão, às 16h. No domingo, é a vez da Portuguesa enfrentar o Mogi Mirim, às 11h, no Estádio Vail Chaves.

Fonte: globoesporte.com
Leia Mais »

22 maio 2016

Copa do Rei da Espanha 2015/16: Barcelona vence o Sevilla na prorrogação e garante seu 28º título da Copa do Rei

O Barcelona iniciou a temporada em agosto vencendo o Sevilla, na decisão da Supercopa da Europa, e terminou neste domingo ganhando mais um título sobre o mesmo rival. É bem verdade que o time de Luis Enrique viu o adversário quase roubá-lo a Copa do Rei, após jogar praticamente todo o segundo tempo com um a menos (Mascherano foi expulso pouco antes do intervalo). Só que cresceu com o vermelho recebido por Banega e, depois do 0 a 0 no tempo normal, decidiu na prorrogação: 2 a 0 com gols de Jordi Alba e Neymar em assistências de Messi.

Reinado catalão

Com o bicampeonato da Copa do Rei, o Barça ganha folga como maior vencedor do campeonato, com 28 conquistas. O Athletic Bilbao é o segundo da lista, com 23 canecos, e o Real aparece em terceiro, com 19. Além disso, fecha a temporada com quatro títulos: Copa do Rei, Campeonato Espanhol, Mundial de Clubes e Supercopa da Europa. Já o bravo Sevilla se despede com a Liga Europa como consolo.

O choro do goleador

Mas nem tudo foi festa para o Barça. Após esticar a perna para ficar com a bola, Suárez sentiu a coxa e deixou o gramado sem mal conseguir colocar o pé direito no chão, aos dez minutos da segunda etapa. Depois, não segurou as lágrimas. Apesar de o Barcelona ter encerrado a temporada neste domingo, o artilheiro desde já preocupa para a Copa América Centenário, em julho, nos EUA.

A dupla MN

Com o artilheiro do time na temporada fora de combate, Messi e Neymar decidiram quando foram chamados. Demoraram, é verdade, mas resolveram. Ainda no tempo normal, o brasileiro causou a expulsão de Banega no apagar das luzes da segunda etapa, o que equilibrou o jogo. Na prorrogação, o argentino brilhou com duas assistências primorosas. Primeiro, deixou Jordi Alba na cara do goleiro e depois serviu o próprio Neymar para fechar a conta.

O vacilo do Sevilla

O trabalho do time de Unai Emeryneste domingo não pode ser desmerecido, assim como a atuação da defesa do Barcelona na segunda etapa. Com a expulsão de Mascherano antes do intervalo, o campeão da Liga Europa mandou e desmandou no segundo tempo. Faltou fazer o gol, “detalhe” que custou o sexto título do clube na Liga Europa. Com equilíbrio numérico na prorrogação, o Barça foi superior.

Manifestação catalã em Madri

Após serem vetadas da final - e depois liberadas -, as bandeiras "esteladas" foram exibidas aos montes pela torcida do Barcelona no Calderón. Elas se tornaram um símbolo da luta a favor da independência da Catalunha e, com a alegação de que o futebol não deve ser cenário para manifestações políticas, o governo de Madri as proibiu. Os catalães protestaram, pedindo “liberdade de expressão, e a medida foi revogada.

Jogadores do Barcelona com o troféu de campeões da Copa do Rei 2015/16!!!!

Parabéns ao Barcelona pela conquista da Copa do Rei 2015/16!!! Parabéns ao Sevilla pelo belíssimo jogo que fizeram diante do Barcelona!

Fonte: globoesporte.com





Leia Mais »

Copa da Inglaterra 2015/16: Manchester United vence o Crystal Palace na prorrogação e garante o título da Copa da Inglaterra 2015/16

O superpoderoso Manchester United voltou a soltar o grito de campeão depois de duas temporadas. Diante de um adversário bem mais fraco, financeiramente e tecnicamente, porém, valente e corajoso na decisão da Copa da Inglaterra neste sábado, em Wembley, os Diabos Vermelhos conseguiram se impôr no fim graças a um chutaço de Lingard, aos cinco minutos do segundo tempo da prorrogação. A virada foi consolidada depois de um gol de Puncheon que assustou, aos 33 da etapa complementar, mas que foi respondido com o empate de Mata em seguida, aos 36.

FIM DO JEJUM SÓ PARA UM

Sem levantar um troféu desde a Supercopa da Inglaterra de 2013/14, o Manchester United se igualou ao Arsenal como maior vencedor da Copa da Inglaterra, com 12 títulos. Ao Crystal Palace, sobrou a decepção de ficar sem títulos no currículo além dos dois de segunda divisão que tem. Para piorar, foi vice de novo do torneio numa final diante dos Diabos Vermelhos, seus algozes em 1989/90, quando perderam, por 1 a 0 o replay depois de empate por 3 a 3 no primeiro confronto.

CAPITÃO CAMPEÃO

De volta recentemente aos campos depois de uma lesão que o atrapalhou na temporada, Rooney mostrou que está pronto para liderar a Inglaterra na Eurocopa, entre junho e julho, na França. Durante a decisão deste sábado, o capitão do United jogou mais na armação e se desdobrou até na marcação, dando até carrinho na própria área para evitar conclusão adversária. Além de ser visto em várias partes do gramado, mostrou habilidade e visão de jogo ao criar o lance do gol de empate, disparando do meio de campo com a bola e passando por seis adversários antes de achar Fellaini e Mata sozinhos do outro lado. Um camisa 10 que todo time deveria ter.

DESPEDIDA DO DESPEDIDO?

Apesar da conquista da Copa da Inglaterra, Van Gaal decepcionou na temporada à frente do United. Quinto colocado do Campeonato Inglês, a 15 pontos do campeão Leicester, o maior vencedor da Premier League teve que se contentar em ficar fora da Champions na próxima temporada, garantindo vaga apenas na Liga Europa. O jornal espanhol "As" dá como certa a contratação do português José Mourinho para substituir o técnico holandês.

Jogadores do Manchester United comemoram o título da Copa da Inglaterra 2015/16!!!!

Parabéns ao Manchester United pela conquista da Copa da Inglaterra 2015/16!!!

Fonte: globoesporte.com


Leia Mais »

21 maio 2016

Copa da Alemanha 2015/16: Bayern de Munique vence nos pênaltis o Borussia Dortmund e conquista o título da competição

Título suado e no limite

Depois de longos minutos e um placar de zero, o Bayern de Munique venceu por 4 a 3 nos pênaltis e assegurou a Copa da Alemanha diante do Borussia Dortmund neste sábado. A última cobrança ficou a cargo de Douglas Costa, que, com traquilidade, converteu com um chute certeiro. Depois de um primeiro tempo sem muita intensidade, os times decidiram dar emoção à final no estádio Olímpico de Berlim na etapa complementar. O esforço ficou visível. Alguns jogadores como Hummels, Ribéry e Schmelzer precisaram deixar o campo.

A prorrogação seguiu no mesmo ritmo, com o Borussia tendo as chances mais claras depois de um ímpeto maior do Bayern por Lewandowski. Aubameyang e Mkhitaryan se revezaram nas tentativas, mas não se deram bem pela falta de pontaria. Melhor para o time de Pep, que se despede com mais um título na temporada depois da conquista do Alemão. Como homenagem, o capitão Lahm deu a taça para que o treinador levantasse no palco da celebração.

Fim de uma história

A despedida de Hummels acabou de forma melancólica. O jogador, que na próxima temporada vai jogar justamente pelo Bayern, adversário do Borussia neste sábado, acabou deixando o gramado aos 32 minutos do segundo tempo. Com dores, tentou retornar por duas vezes ao gramado, mas não foi possível. Acabou assistindo do banco ao restante do jogo que deu o título ao Bayern, com quem assinou pelo valor especulado pela imprensa alemã de € 38 milhões (R$ 152 milhões).

Choro de Guardiola

Pep não segurou as lágrimas ao final do jogo. De saída do Bayern, ele chorou muito assim que Douglas Costa converteu a última cobrança. Ele agora inicia sua história no Manchester City depois de três temporadas no clube bávaro

Vale tudo

Não há dúvidas de que Vidal é um jogador que não deixa barato as disputas e se joga de corpo e alma nas partidas. A dedicação na decisão diante do Borussia foi tanta que o chileno jogou uma parte do confronto com a camisa rasgada nas costas.

Onde há fumaça....

Apesar da perda do título, a torcida do Borussia deu o show habitual, mas em um momento quase causou a paralisação da partida. O árbitro esperou alguns minutos para reiniciar o jogo depois que alguns sinalizadores foram acesos pelos fãs da equipe de Dortmund no intervalo.

Parabéns ao Bayern de Munique pela conquista da Copa da Alemanha 2015/16!!!!

Fonte: globoesporte.com


Leia Mais »

Copa da Itália 2015/16: Juventus vence o Milan com gol na prorrogação e garante o bicampeonato da Copa da Itália

O Juventus teve dificuldades com o Milan sobretudo no primeiro tempo, mas cresceu no segundo e na prorrogação e venceu por 1 a 0 a decisão da Copa da Itália. O gol foi marcado por Álvaro Morata, atacante que já se notabilizou por balançar a rede em momentos decisivos. Ele recebeu cruzamento de Cuadrado e finalizou de pé direito, no canto direito do goleiro Donnarumma.

Herói em um minuto

Autor do gol aos quatro do segundo tempo da prorrogação, Morata havia entrado em campo apenas um minuto antes, substituíndo o volante brasileiro Hernanes. Mostrou mais uma vez que tem estrela.

Feito inédito

Com a conquista, o Juventus se torna o primeiro time a vencer o Campeonato Italiano e a Copa da Itália em duas temporadas consecutivas.

Milan fora das competições europeias

Com a derrota, o Milan fica fora de qualquer competição continental pelo terceiro ano consecutivo, algo inédito na Era Berlusconi. Como o Juventus vai para a Liga dos Campeões, a última vaga do país na Liga Europa é do Sassuolo, sexto colocado do Campeonato Italiano.

Parabéns a Juventus pela conquista da copa da Itália 2015/16!!!!

Fonte: globoesporte.com


Leia Mais »